Mantra: Tradução

Bom, eu sei que eu não sou um blogueiro diligente e minhas postagens são confusas e dispersas no tempo. Ainda assim eu quero traduzir um mantra¹, passo a passo.

O Mantra é esse:

mantra
—Brhadaranyaka Upanishad, 1.3.28
Você pode, ainda, ouvir/ver o mantra por aqui!

Primeiramente, às cegas, sem saber a tradução de uma única palavra, precisamos desfazer os casos de samdhi. Para que desfazer os samdhis? Para descobrir:

1- onde começa um vocábulo e termina outro. Sem saber a fronteira entre as palavras não se pode ir ao dicionário. No nosso caso está fácil, pois os vocábulos já estão separados.

2- para sabermos em que caso de declinação estão as palavras, afim de descobrir a relação sintática entre os termos.

Então, os samdhis são:

as+m → o

t/d + g → d

as + m → o

s/r + g → r

s/r + m → r

m + g → m (anusvara, o “m com o pontinho em cima” )

Assim, a frase “pré-samdhi” seria:

“asatas maa sat gamaya
tamasas maa jyotis gamaya
mrtior maa amrtam gamaya”

Ótimo, temos o mantra, precisamos traduzir. Em primeiro lugar convém verificar a repetição do termo “gamaya”, no final de todas as frases. Gamaya é uma forma verbal no imperativo. Trata-se do imperativo do verbo “ir” (GAM, sansr.) e pode ser traduzido como “conduza!”.

A primeira sentença existem dois termos semelhantes: asatas e sat³. São antônimos. Como no grego (e no português, pela influência que o grego execeu sobre o latim) uma das regras de formação de antônimos é a utilização do morfema prefixal “a-“. Sat= ser, existência, Asat= não-ser. O mesmo ocorre com os termos “mrtyor” e “amrtam”.

O resto do vocabulário é o seguinte:

maa: me, pronome
tamas: trevas
jyotis: estrela, claridade, brilho
mrtyu: morte
amrta: imortal

Como fazemos para descobrir em que caso está cada um dos termos? Primeiramente procuramos a palavra no dicionário. Lá constará se o termo é um substantivo, adjetivo, verbo, advérbio, etc. Além disso constará no dicionário a terminação do vocábulo. Sabendo o gênero (masculino, feminino ou neutro) e a terminação do vocábulo, pega-se uma tabela de declinações para descobrir se a palavra está no nominativo (isto é, é o sujeito da sentença), acusativo (tende a ser objeto), locativo (local ou momento em que a cena ocorre), etc.

Tendo feito todo este processo (desfazer samdhis, descobrir os casos, gênero e significados das palavras) pode-se, finalmente, traduzir a frase.

A tradução do mantra é a seguinte:

“Conduza-me do não-ser ao ser
Conduza-me das trevas à luz
Conduza-me da morte à imortalidade”

——

¹ Aos que curtem MATRIX fica a dica: esse mantra é entoado em um dos filmes! (Honestamente não sei em qual, cinema nunca foi a minha praia)

³ Só é possível perceber a semelhança fonética entre os termos depois de desfazer o samdhi. Com o samdhi os termos asato e sad não são tão semelhantes assim…

3 respostas para Mantra: Tradução

  1. robertagiafarov disse:

    olá! segundo o livro “o caminho da prática” de Bri. Maya Tiwari, a tradução e significado ficam assim:
    “Conduza-me do irreal ao real (através do conhecimento),
    Da escuridão (ou ignorância) para a luz (conhecimento),
    Da morte (limitações) para a imortalidade (liberação).
    Om shanti shanti shantih”

    namastê!!!

    • Fievel disse:

      Roberta,

      Como nós sabemos: “tradução é traição!” A tradução que você nos oferece me parece ir além das palavras propriamente ditas para buscar um sentido filosófico/religioso. Nada mais justo, trata-se de um mantra, certo?
      De qualquer maneira, e apenas a título de exemplo, o termo tamas significa, efetivamente, “escuridão”. A leitura de Bri. Maya Tiwari, que busca equiparar escuridão à ignorância, é uma interpretação dentre mil possíveis: eu mesmo não traduzi por “escuridão”, traduzi por “trevas”.
      No que diz respeito à tradução das palavras, ignorando as leituras filosóficas e religiosas que o mantra decerto possui, a tradução que eu ofereço e a que você traz são, no geral, semelhantes. =)

      Deixo aqui o link de um dicionário on-line apenas para demonstrar o significado de tamas.

      Um abraço e obrigado pelo acréscimo que você ofereceu!
      Fievel

  2. takeuti disse:

    om.. o primeiro som do universo. o som da criação

    Resposta
    Pode crer, Takeuti!
    É uma sílaba tão importante que nem é traduzida, já reparou?
    Om gurave namah”
    Seria (mais ou menos) “Saudação (de Om) ao guru!”

    Abraços, irmão!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: